Como eu era antes de Jesus - Relato da Clarisse Castro



Sabe aquelas pessoas que "nasceram na igreja", mas suas atitudes não condizem com a vida de Jesus? Eu era uma delas.

Quando nasci minha mãe já era convertida, então ir à igreja para mim era algo natural e até cultural durante a infância, eu gostava. Mas conforme fui crescendo as novidades, amizades, e os prazeres do mundo foram me conquistando. Nunca saí da igreja de fato, continuava indo aos cultos, mas com os pensamentos bem longe dali, ir à igreja passou a ser obrigação.

Durante a adolescência eu tinha vergonha de ser cristã, eu nunca falava sobre Jesus, tinha muito medo de me zoarem e ficar constrangida na frente de todos. Minhas atitudes também não condiziam com a vida que eu deveria ter e, portanto, eu O envergonharia se me intitulasse uma "evangélica".

Não me ache uma idiota, espere um pouco. Existe uma explicação para que eu agisse como tal: eu não conhecida Deus de verdade, e não entendia nada sobre Jesus, nunca tinham me apresentado Deus como Pai. Sempre o vi como um velho, dono de tudo, que controlava tudo, e que me castigaria a qualquer momento por todas as minhas atitudes ruins, eu não conhecia o amor dele.

E quantas atitudes ruins eu tinha! Um temperamento horrível, guiado por uma personalidade muito forte; eu era um misto de arrogância com impulsividade que culminou em diversas escolhas erradas durante minha adolescência, principalmente sobre amizades e relacionamentos amorosos.

Magoava muitas pessoas, era muito magoada, eu já não sabia mais distinguir o que era ter razão e ter princípios. Eu fazia o que queria, comigo e com os outros, e as consequências disso foram bem dolorosas durante o Ensino Médio.

Graças a Deus a escola acabou, viva! Aquele sentimento de "vida nova" pairava no ar, eu tinha crescido um pouco, né? Amadurecido... Mas, e na faculdade? Alguma mudança? Sim, não posso dizer que não. Entrei na faculdade, em 2011, como uma pessoa diferente, mais centrada, eu realmente havia mudado em algumas coisas, mas não no mais importante. Eu continuava sem saber quem era o Deus que eu dizia servir, e quem era Jesus, o cara em quem eu dizia acreditar.


Foi só em outubro de 2013 que as coisas começaram a mudar de verdade. Minha irmã me convidou para o culto de uma igreja que acabara de chegar em Niterói, aceitei, era a Lagoinha. Eu me lembro até hoje da primeira impressão: "As paredes são pretas! Que lustres lindos!". Não me pergunte o que foi pregado aquele dia, porque eu não me lembro de uma palavra, eu só lembro de uma certeza no meu coração: "Meu lugar é aqui, e eu não quero mais sair!". Senti Deus como nunca antes, uma alegria diferente em estar ali.

Comecei a ir sempre, sem parar, não tinha mais como viver longe dali, o que eu ouvia ali era uma palavra tão revelada, tão clara, era libertador. Me apresentaram ao meu Pai,  eu entendi que eu era filha, que eu era amada. Entendi que eu não podia fazer nada para que Ele me amasse mais e que nada do que eu já tinha feito foi capaz de diminuir o amor dele por mim. Pela primeira vez eu entendi de verdade o sacrifício de Jesus na cruz, o motivo, o resultado. Eu fiquei apaixonada, eu me encontrei em Jesus! Tinha sido por mim, tinha sido por amor!

Apesar de estar vivendo essa nova fase da minha caminhada cristã, ainda por alguns meses continuei sendo a dona da minha vida, fazendo minhas próprias escolhas e colhendo as consequências frustrantes delas. Mas no dia 19 de janeiro de 2014, um domingo, começou dentro de mim uma reestruturação de quem eu era

Ao contrário do primeiro dia em que pisei na Lagoinha Niterói, lembro de cada detalhe daquela mensagem sobre "odre novo, vinho novo". Me dei conta de que não havia entregue o controle total da minha vida a Deus, continuava fazendo as mesmas coisas esperando resultados diferentes. Era cansativo, era doloroso, e a única coisa que eu poderia fazer para aliviar isso era entregar o controle de todas as áreas da minha vida a Ele, - todas - . Me rendi. Deixei ele guiar os meus passos, me deixei ser conduzida, me despi das minhas vontades e me despedi do meu passado. Que a partir daquele dia os meus pensamentos fossem os dele, entreguei tudo!

Como nada na vida é instantâneo (nem o miojo, pense bem!) daquele dia em diante vivo um processo, Deus vem me podando. É uma transformação constante, um crescimento gradativo, um passo de cada vez, é como estar em obras.

Três anos depois daquela mensagem estou no último período do Seminário Teológico Carisma Rio, sirvo na igreja e lidero um GC (Grupo de Crescimento). Entre erros e acertos na caminhada, me sinto plena por saber quem eu sou em Deus, por entender que Ele sonhou comigo mesmo antes de eu ser gerada, que planejou a minha vida, e me designou um chamado, me presenteando com dons para cumprir um propósito. Me sinto plena por viver como filha, como herdeira!

Eu não era nem de longe um exemplo a ser seguido, e hoje ouvir que alguém se inspira em mim é a prova viva de que Deus tem o poder de transformar pessoas quando elas se dispõem a isso.

Deus tem coisas lindas preparadas para cada um de nós. Ele quer se apresentar, se fazer conhecido, Ele quer mudar a sua história e guiar você pelo caminho certo. Trocar o seu peso pela leveza dele e te fazer fluir em tudo o que ele sonhou pra você. Mas Ele é muito educado, Ele espera ser convidado, então sendo você cristão ou não, faça esse convite a Ele hoje, e prepare-se para mudanças extraordinárias.

3 comentários

  1. Sinceramente, eu to queimando! Não teria como, mesmo se fosse combinado, uma história se parecer tanto como a minha. Relendo, inclusive, foi como reviver meu encontro com meu Amado (eu to quase chorando aqui, no meio do serviço) e me alegro em ver que a cada dia que se passa eu vejo mais pessoas se rendendo verdadeiramente a esse Amor que liberta e transforma ♥ que o Aba continue a gerar em vida em você, Clarisse, onde quer que você esteja. Eu não te conheço, mas o Pai te conhece e eu sei que isso basta para que você frutifique onde você está. LET'S BURN!

    ResponderExcluir
  2. Gostei do post. Que Ele te abençoe cada vez mais. Abraços!!

    ResponderExcluir
  3. Isso só me faz entender mais e mais o quanto apenas o fato da entrega, de se esvaziar, de deixar nossas aflições nas mãos do Pai, de apenas confiar, o tanto que Ele nos usa e o tanto que nos abençoa e abençoa vidas através da nossa vida. Que Ele continue te podando, construindo em você uma verdadeira adoradora Clarisse. Fico maravilhada com o crescente número de jovens entregues aos pés de Jesus. Deus continue te abençoando, gerando vidas através da sua. ❤️

    ResponderExcluir

A melhor forma de demonstrar que você se importa, é dizendo! Comente :-)