Descobrindo a sua identidade cristã


Lembro muito claramente de quando eu estava na sétima série e me sentei ao lado da minha melhor amiga pra fazermos um trabalho em sala de aula. Ela se chamava Shao Jue, uma mestiça linda, cabelos curtos e pretos bem lisos, olhos de jabuticaba, sorriso alinhado e dona da letra mais linda e harmônica que eu tinha visto até então. Ela escrevia tudo em itálico {inclinado} e era tão bonito, que foi paixão à primeira vista.

Depois da aula, fui pra casa o mais rápido que eu pude, peguei meu caderno e comecei a tentar imitar a letra dela.

Esse é o primeiro registro, que me lembro prontamente, de querer copiar outra pessoa, mas só fui ter consciência disso anos depois.

Sempre que eu conhecia alguém legal e que era admirado pelas pessoas que eu gostava, involuntariamente eu replicava os gestos, os bordões, a forma de andar, de falar, o sotaque, ou qualquer outra característica marcante que ele tivesse.

Na minha lógica, se aquilo era um diferencial daquela pessoa e eu o copiasse, logo, eu também me tornaria interessante.

Afinal de contas, quem eu era? O que me distinguia das outras pessoas? Qual o meu valor? Qual o propósito da minha criação?


SE TU ÉS FILHO DE DEUS


Em Lucas 4, conta que Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto e foi tentado pelo diabo durante 40 dias, durante os quais não comeu coisa alguma. Mas, ao findar os 40 dias, teve fome. O diabo, ciente da possível “vulnerabilidade” de Jesus, o tentou dizendo: “Se tu és o Filho de Deus, dize a esta pedra que se transforme em pão.”

O diabo colocou em dúvida a identidade e paternidade de Jesus, assim como faz conosco todos os dias. Ele tenta nos convencer a todo instante de que não somos bons o suficiente, que fulano ou ciclano é melhor que nós, que Deus tem coisa mais importante pra fazer do que prestar atenção em nossa oração e daí por diante.

Se não temos certeza de quem somos, como refutaremos uma afronta dessas? Se não estivermos com nossa identidade enraizada em Deus como teremos segurança quando palavras contrárias vierem em nossa direção?

Deus fez o homem à sua imagem e semelhança, ou seja, somos idênticos à Ele e Nele está então, a nossa identidade.

O diabo veio para roubar, matar e destruir, e não seletivamente, mas em TODAS as áreas da nossa vida, inclusive na nossa identidade.


DEFININDO A SUA FILIAÇÃO



Entender quem você é e o propósito da sua vida pode não ser uma descoberta que é feita do dia pra noite, mas um processo totalmente possível e necessário.


O Primeiro passo é saber que seu pai é Deus. Determinar a sua filiação espiritual é imprescindível para que você não estabeleça seus padrões em definições humanas.



Enquanto seus padrões estiverem concentrados em parâmetros humanos, você continuará achando que precisa ter um corpo perfeito, uma voz perfeita, um cabelo perfeito, o emprego perfeito, a esposa perfeita, o casamento perfeito, uma vida perfeita... Pasme! Isso não existe! Deus não se importa se você não é a mais afinada dentre suas amigas que cantam no coral, não se importa com as manchas na sua pele, nem com aquela cicatriz que você sonha esconder.

Tudo isso é terreno! Tudo isso passa!

Eu queria ser como outras pessoas porque não sabia quem eu era. Você não precisa desejar ser outra pessoa. Você é a menina dos olhos de Deus. Amada do Pai. Princesa do Senhor. Herdeira de Deus. Filha. Isso sim é eterno e deveria estar acima de qualquer outra coisa que você pode julgar importante.

Saber quem somos estabelece o que fazemos e para quem fazemos, afinal, como você sabe qual caminho seguir, se não sabe pra onde vai?

Deixo então, essa simples pergunta: QUEM VOCÊ É?

Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. I Pedro 2:9



Com amor,
Regiane Modesto

2 comentários

A melhor forma de demonstrar que você se importa, é dizendo! Comente :-)